Crítica | Spin Out não é Cisne Negro


Apresentada como uma proposta adolescente de Cisne Negro a fim de explorar o ambiente competitivo das apresentações artísticas, mais precisamente patinação no gelo, Spin Out não consegue atingir o nível dramático ou misterioso do longa com Natalie Portman, mas apresenta um drama esportivo que segura até o fim da temporada.

A série acompanha a jovem Kat Baker (Kaya Scodelario), uma adolescente traumatizada com uma queda durante uma apresentação de patinação, que busca se restabelecer novamente nesse mundo competitivo. O problema é que a mãe de Kat, Carol Baker (January Jones), possui uma personalidade narcisista somada ao transtorno bipolar, o que pode complicar as coisas para a protagonista. Nesse contexto a protagonista encontra a oportunidade de patinar novamente formando uma dupla com o jovem presunçoso Justin  (Evan Roderick)

A série acerta em alguns pontos, como em estabelecer camadas para as personagens, em especial para Carol, que não cai somente no clichê de mãe narcisista egoísta, mas também é uma pessoa que sofre com sua condição e legitimamente ama as filhas (Kat tem uma irmã que também patina). Outro ponto interessante é mostrar a pressão psicológica de superação e conquista. As atuações de Kaya e January acabam sendo um ponto de apoio na história, mas ao final as atrizes acabam se esforçando para trabalhar com um material que fica raso.

Por outro lado, na metade da temporada a história esquece de vários conflitos apresentados inicialmente e começa a introduzir novos elementos sem explorar nenhum dos dois completamente. Personagens são completamente esquecidos enquanto outros são introduzidos, e o tom do relacionamento entre os personagens se modifica sem preparo ou evolução, o que torna a série um drama adolescente mais raso.

De qualquer forma, o drama esportivo e a história de superação da protagonista acaba tendo potencial para ser uma boa série e consegue segurar o telespectador até o final, ademais, as coreografias são um motivo a mais para quem gosta da modalidade, mas para aqueles que esperavam uma história mais próxima do filme de Darren Aronofsky, pode ficar um pouco decepcionado.

Comentários